Guia Descorchados 2019

No último dia 9 de abril marquei presença no lançamento do Guia Descorchados 2019. Trata-se de um guia de vinhos da América do Sul (acredito que o mais importante por aqui), criado pelo chileno Patricio Tapia, jornalista e crítico de vinhos. Sua primeira edição foi no final dos anos 90, cobrindo apenas vinhos chilenos. Atualmente, contempla vinhos de Chile, Argentina, Uruguai e Brasil. A edição deste ano conta com quase 1200 páginas e trouxe o resultado de mais de 3000 vinhos avaliados em mais de 400 vinícolas espalhadas por esses 4 países. O guia traz, majoritariamente, vinhos com pontuação acima de 90. Nessa escala, o vinho encontra-se mais perto da perfeição quando sua nota está mais próxima do valor 100.

unnamed6

A primeira edição que o Brasil participou foi a de 2015 (e eu fui no lançamento, pela primeira vez!) e cobria apenas os espumantes. Isso já mostra que temos excelentes espumantes por aqui. Já vinhos tintos e brancos apareceram pela primeira vez no ano passado.

O melhor vinho brasileiro deste ano foi o Espumante Sur Lie Nature 30 meses, da Casa Valduga (http://www.casavalduga.com.br/). Foi o primeiro que eu provei, assim que cheguei no evento. No Brasil, esse vinho recebeu as seguintes premiações do Guia:

  • Melhor espumante
  • Melhor espumante nature
  • Melhor espumante com método tradicional
  • Vinho Revelação
  • Melhor Vale dos Vinhedos

unnamed

Uma grata surpresa foi o melhor vinho branco no Brasil, vem da paulista Vinícola Guaspari (http://www.vinicolaguaspari.com.br/Site/php/home.php), localizada em Espírito Santo do Pinhal. Esse eu não consegui provar, infelizmente.

Nas avaliações gerais dos vinhos tintos e brancos, Argentina e Chile ainda possuem as notas mais altas. Já nos espumantes, o Brasil integra esse seleto grupo.

unnamed7

O lugar estava lotado, com muitos profissionais da área de vinhos e enófilos estavam presentes no evento. Gosto de ir lá ver onde nosso país teve destaque. Mas, óbvio, faço um passeio geral para degustar os principais vinhos de cada um desses países. E, como eu gosto de Malbec, também fui atrás de provar os vinhos dessa uva. Descobri o Zuccardi Malbec (95 pontos), que possui uma suavidade bastante incomum para um Malbec.

Para que gosta de vinhos, é um evento que vale a pena. Pela bebida, pelas histórias que os enólogos que estão presentes contam e pelo livro também.

unnamed3

 

#desafio12metas: Saldo de abril

Esse foi um mês especial: finalmente passei alguns dias na praia, sol, areia, água do mar, sossego e boa leitura. Não lembro exatamente quando foi a última vez que eu fui à praia, eu lembro que desde que tinha começado a fazer o MBA nem sabia mais o que era isso.  O melhor que eu fiz neste intervalo foi caminhar no calçadão de Copacabana. Enfim, fazia parte de uma das minhas 12 metas e foi devidamente cumprida!

beach.jpg

Escorreguei um dia na meta da água. Foi no dia em que minha mãe estava comigo o dia inteiro. Percebi que é muito importante também influenciar as pessoas ao redor em relação a bons hábitos. Mas, neste caso, falhei miseravelmente.

Terminei o segundo livro no primeiro dia de maio. Na verdade, eu parei com o livro que eu estava lendo no mês de março e comecei a ler outros dois. E li metade do segundo livro, que foi a Libélula no Âmbar (944 páginas, segundo o site da Saraiva), durante minha estadia na praia. Para este  mês, quero ler os dois que estão na meta e terminar o livro que parei no meio.

Não dobrei a meta, mas mantive o km acima da meta estabelecida, consegui praticar pelo menos 30 minutos na maioria dos dias do mês. E, ainda na linha da atividade física, tive uma ideia agora a pouco para cumprir a meta de voltar para a natação. Mas deixarei para executar no mês de junho, tenho outra meta em andamento para o mês de maio.

O meu peso é que está estagnado. Andei escorregando a alimentação por conta de visitas, férias e um pouco da correria do trabalho. Mas, pelo menos, o ponteiro da balança não subiu, o que já é um alento, acredito que a atividade física tem ajudado bastante. Preciso focar na dieta para o ponteiro começar a descer para valer.

Além disso, fiz a inscrição no curso do Positive Coaching, previsto para acontecer no final deste mês. Estou lendo alguns materiais relacionados e tenho o módulo online já disponível para fazer enquanto o início do curso presencial não chega. E ainda preciso preparar a logística para as aulas ao vivo.

Acho que estou evoluindo bem. Acredito que no meio do ano eu esteja com a metade das metas em dia. Mas já preciso pensar em estratégias para progredir nas outras também. Enquanto isso, vou seguindo um passo de cada vez, consolidando as mensais e me preparando para as pontuais. “Vamo que vamo”.

Seja um profissional Ágil

A matéria de capa da revista Você S/A do mês de março tem a chamada: “Seja um profissional ágil”. Isso é um sinal bem claro de que o movimento Ágil está ganhando cada vez mais espaço em todas as áreas de trabalho. O que exige cada vez mais conhecimento e profissionalismo em relação a como conduzir uma organização para que ela se torne realmente Ágil.

unnamed2.jpg

É muito fácil, quando se fala em agilidade, conduzir o pensamento para post-its colados na parede, ouvir termos como Scrum, Kanban, Squads e basear a rotina de trabalho em várias reuniões. Muitas vezes, sem saber qual é o fundamento que precisa servir como base. E sem isso, qualquer iniciativa tem uma grande chance de não ser bem sucedida.

O primeiro passo do movimento Ágil foi com o Sistema Toyota de Produção, criado por Taiichi Ohno durante a segunda metade do século XX. Consiste, basicamente em mapear o fluxo de trabalho, identificar e remover os obstáculos deste fluxo, eliminando os desperdícios e aumentando a produtividade. Esse movimento ganhou força na área de desenvolvimento de sistemas depois de um encontro de 17 profissionais da área de tecnologia, em 2001, que se reuniram para discutir melhorias na forma de se produzir sistemas. Um dos principais questionamentos era em relação ao modelo cascata, onde tínhamos grandes fases bem delimitadas e que cada fase trabalhava com a entrega do escopo inteiro de todo o sistema, ou seja, todos os requisitos, depois todo o código, depois todo o material para teste e assim por diante até chegar na implantação em produção (imaginem descobrir um erro de definição na fase final…). O resultado deste encontro foi um documento com 4 valores e 12 princípios para guiar o processo de desenvolvimento de sistemas.

Valores:

manifesto_agil_valores

Princípios:

manifesto-agil-principios

A partir deles é que temos todas as práticas, que podem ser utilizadas sozinhas, misturadas ou até mesmo ter a sua própria (por que não?). É é dentro deste conjunto que estão o Scrum, Kanban, Lean, SAFe, entre outros (temas para novas publicações no blog). E, independente de como você vai aplicar a agilidade, esse é um trabalho empírico, ou seja, é uma prática que evolui conforme os acertos e erros vão acontecendo.

O artigo da Você S/A, reforça bem práticas que devem fazer parte de um trabalho Ágil, tais como trabalho em equipe, colaboração, transparência e melhoria contínua. Na reportagem também tem uma mini entrevista bem bacana com Jeff Sutherland (que participou da criação do Manifesto Ágil e é um dos criadores do Scrum) e seu filho.

Um outro ponto bem reforçado é a derrubada do mito da multitarefa. Ao invés de fazer várias coisas ao mesmo tempo,  focar naquilo que é mais importante e trabalhar para terminar o mais rápido possível e depois partir para o próximo item. Existe uma frase muito famosa no Kanban que diz para parar de começar coisas novas e começar a terminar as coisas em andamento (stop starting, start finishing), que reforça ainda mais esse conceito (fiz até um adesivo para usar essa frase como um lema, rs…).

unnamed

Mas é claro que há algumas distorções (na minha opinião): omitir os 4 valores do Manifesto Ágil e falar apenas dos princípios; dizer que uma Sprint pode durar 10 semanas (isso só acontece no SAFe que possui um modelo Ágil em escala com papéis e fluxos bem definidos para justificar as 10 semanas), uma Sprint tem uma duração máxima de 1 mês; usar termos do Spotify deliberadamente, vejo muitas empresas por aí dividindo suas equipes em Squads, Tribes, Chapters, sem necessariamente trabalharem de forma Ágil.

Apesar disso, a reportagem abre uma janela para que todas as profissões procurem neste mindset, uma forma de entregar valor aos seus clientes de forma rápida. Vale a leitura e vale também buscar informações consistentes antes de sair colando post-its na parede para dizer que sua organização é Ágil.

 

Links úteis:

https://www.manifestoagil.com.br/index.html

https://www.scrumguides.org/scrum-guide.html

https://leankanban.com/guide

https://www.scaledagileframework.com

https://www.infoq.com/br/articles/spotify-escalando-agile

 

#desafio12metas: Saldo de março

Com um pouco de atraso, mas o balanço do mês de março chegou.

Você não consegue atingir sua meta, o que você faz? Eu bolei um plano de ação para um dos recorrentes que eu não tinha cumprido nos dois primeiros meses: beber pelo menos 2L água todo dia. E, finalmente, consegui bater essa meta besta, hahaha… Que eu consiga mantê-la como uma rotina permanente… \o/

Além disso, fiz um ajuste na rotina de atividade física. No meio da semana estava fazendo 40 minutos duas vezes por semana. Decidi, na metade do mês, mudar e fazer 30 minutos todos os dias úteis e nos finais de semana ou feriados fazer um treino mais longo. O resultado é que eu dobrei a meta (isso me lembra de um certo discurso). Como ainda estou estudando as possibilidades para voltar à natação, achei melhor fazer esse ajuste para manter a atividade física OK.

Em compensação, falhei miseravelmente na meta da leitura. Não consegui terminar o primeiro livro. Sinal de que ainda preciso fazer ajustes na gestão do meu tempo. Reduzi o tempo nas redes sociais, mas ainda falta. Ainda estou ajustando meus horários à noite. Por outro lado, tinha alguns cursos online e podcasts pendentes e percebi que posso ouvir no carro, indo e voltando do trabalho. Isso já me ajuda porque queria ouvir esse material mas acabava “sem tempo” para executar, além de ficar menos aborrecida no trânsito.

No quesito peso, ainda estou com algumas dificuldades em relação à alimentação que eu não consegui soluciona ainda. Estou testando alguns fornecedores de marmita fit para o almoço, e do último mês tinha uma porcentagem maior de carboidrato. O problema disso é que eu acabava sentindo mais fome durante à tarde e à noite, daí junta com a dificuldade que eu estou para resolver meus horários da noite, daí o pé na jaca rolou algumas vezes. Este mês estou testando um novo fornecedor, vamos ver se me adapto melhor a ele.

Se tudo der certo, neste mês eu consigo conquistar mais alguma das metas pontuais. Mas isso fica para um próximo capítulo! 😉

 

#desafio12metas: Saldo de fevereiro

O foco deste mês foi estabelecer uma rotina para atividade física. No final de semana é lei fazer pelo menos 5 km em cada dia. Durante a semana sempre foi mais complicado, mas estabeleci que deveria fazer no mínimo 40 min duas vezes por semana. No mês de fevereiro foi sucesso. Bora para o resto do ano também.

Já a volta para a natação meio que voltou à estaca zero. Tinha decidido fazer em um lugar aqui na ZN, é perto de casa e tem uma piscina semi-olímpica. Aí fui até o local perguntar o preço e conhecer a infra-estrutura. A pessoa que me atendeu começou com uma conversa para me convencer a fechar o pacote no mesmo dia e eu não gostei da abordagem. Decidi procurar outro lugar.

Montei uma estratégia para bater a meta do consumo de água. Agora eu carrego uma garrafinha dentro da minha bolsa, e vou controlando o  volume consumido no app do celular. Exceto no primeiro dia em que eu esqueci de levar a garrafa na bolsa, deu super certo. Agora é criar a rotina, tal como na atividade física.

O controle de peso oscilou esse mês por alguns motivos. Troquei a minha balança, então há um ajuste natural da métrica do peso. Além disso, incluí o percentual de gordura e a medida da cintura para acompanhar a evolução nessa categoria. E fui um pouco mais relaxada em relação à alimentação, confesso.

A meta mensal que eu fiquei devendo foi a da leitura. Só consegui terminar o segundo livro hoje, dia 03/03. Continuarei me esforçando, mas preciso urgente montar a estratégia para conseguir cumprir essa meta nos demais meses do ano. Uma coisa que eu pensei foi no tempo que eu tenho gasto com redes sociais. Exceto quanto eu faço minhas publicações, tenho gasto um tempo considerável. Pensarei em alguma coisa neste mês e depois conto a vocês qual foi o plano e o resultado.

Agendei uma parte das férias para o primeiro semestre, o que significa que já tenho o período reservado para ir para a praia com calma e o período para cursar o Positive Coaching.

Resumo de tudo: uma meta mensal cumprida, organização de duas metas mensais e duas metas pontuais, uma menta mensal para montar o plano de ação.

Falando em metas…

No início deste ano, eu divulguei uma lista com 12 metas para trabalhar durante o ano de 2019. Hoje quero falar um pouco dos conceitos e o que me levou a definir aquele conjunto para este ano

Antes de estabelecer qualquer meta, é importante ter em mente quais os principais objetivos envolvidos. Aonde você quer chegar. Meu principal objetivo desse ano é cuidar da saúde.

Uma vez que tenho o objetivo, preciso traçar as metas. Como vou alcançar esse objetivo?

As metas podem ser de curto, médio e longo prazo. É bom para ter ações para pôr em prática já e ações para horizontes mais distantes. Alcançar o primeiro degrau dá estímulo para seguir adiante e ir atrás dos outros. Não adianta listar uma série metas para cumprir amanhã, não vai rolar e só vai trazer frustração e te deixar mais longe do objetivo. A minha lista possui itens para cumprir todos os meses, itens para cumprir algum momento deste ano e itens que acredito que serão cumpridos ao longo do ano.

Um ponto bem importante das metas, é que elas precisam ser mensuráveis. Preciso de critérios de sucesso bem definidos para saber se estou no caminho certo. Disse que queria voltar a visitar a praia, por exemplo. Não disse quantas vezes queria ir lá para este ano, o que quer dizer que uma vez basta. Se isso não fosse suficiente, deveria especificar o número de visitas que deveriam ser cumpridas. Mas neste meu caso, uma vez já basta mesmo.

As metas precisam ser desafiadoras, mas também alcançáveis. Por exemplo, o peso que eu preciso alcançar. Perder 10 kg em um mês é um sonho que não será realizado. Perder esse mesmo peso ao longo do ano é possível e bastante desafiador, principalmente uma vez que eu me permiti chegar a um peso 10 kg acima do ideal.

Estabeleci que eu precisava fazer os seguintes itens para atingir o objetivo de cuidar da saúde. Separei em dois grupos para ilustrar que o primeiro é da saúde física e o segundo da saúde mental.

  • Beber pelo menos 2 litros de água por dia
  • Fazer pelo menos 50 km por mês no Nike+
  • Voltar para a natação
  • Chegar a 55 kg
  • Normalizar taxas do meu exame de sangue (no ano passado, as taxas de glicose e colesterol estavam na faixa limítrofe)

 

  • Ler pelo menos 2 livros por mês
  • Voltar a visitar a praia (que eu não vou desde que comecei o MBA)
  • Iniciar o segundo módulo da formação de sommelier

Percebi que algumas das minhas metas se encaixam melhor como objetivos, principalmente porque tenho uma lista de ações para conseguir realizá-las. E, são coisas que eu quero realizar no segundo semestre.

  • Fazer a tatuagem de caveira
  • Trocar de carro

Tenho um objetivo profissional para este ano, com algumas metas para serem cumpridas, mas decidi deixar público a parte de estudo. Isso foi um ponto que, durante um certo tempo, fui deixando para trás por causa da correria do trabalho no dia a dia. Quando me dei conta, estabeleci que precisava ter mais foco nos estudos e tenho tido bons resultados.

  • Cursar o M30
  • Cursar o Positive Coaching

Quem quiser acompanhar a evolução das minhas metas, é só me seguir no instagram @lisa.hayashida. E você, já definiu suas metas para este ano?

#desafio12metas: Saldo de janeiro

Primeiro mês do ano já se foi. Com ele, algumas vitórias e algumas derrotas em relação às minhas metas de 2019. Decidi fazer um balanço mensal com minhas impressões em relação a este primeiro mês.

 

O que eu consegui cumprir:

  • Ler pelo menos 2 livros por mês
  • Fazer pelo menos 50 km por mês no Nike+
  • Cursar o M30

O curso já estava nos meus planos desde 2017, mas tive um problema de agenda com a instituição onde eu havia me inscrito e cancelei. Mas continuei pesquisando a respeito de novas turmas. No final do ano passado, encontrei uma turma para janeiro e uma promoção, então já incluí na programação do começo do ano. Em relação às leituras e à quilometragem, consegui atingir só no final do mês. Tive algumas dificuldades, tais como virada de ano (eu estava fora de SP), e uma gripe chata que me pegou na metade do mês. Mas como eu comecei a cuidar dessas metas logo que eu voltei de viagem, consegui cumprir. Mas elas são mensais, então o trabalho continua.

 

Está indo bem:

  • Chegar a 55 kg
  • Normalizar taxas do meu exame de sangue (no ano passado, as taxas de glicose e colesterol estavam na faixa limítrofe)

As duas metas acima e a quilometragem do Nike+ estão interligadas. Uma vai impulsionar a outra. Certeza absoluta dos exames só vai acontecer quando eu refazê-los  (em outubro). Mas acredito estar no caminho certo para chegar lá. Final de ano, aquela fartura e comilança , cheguei a 65 kg. Mas já consegui perder 1 kg, então preciso manter o foco em uma alimentação mais saudável e exercícios físicos. E, sempre que sair da dieta (porque sim,  VAI ACONTECER), fazer uma compensação na sequência.

 

Não está indo tão bem assim:

  • Beber pelo menos 2 litros de água por dia
  • Trocar de carro

Comentei no começo que beber água, por mais que pareça algo besta, é difícil de fazer se a gente se deixar levar pela correria do dia a dia. Tem dias que passei a tarde inteira em reunião ou em algum evento, então esqueci de beber água. Comprei uma garrafinha para o final de semana e me ajudou, mas ainda falta alguma coisa que eu preciso pensar neste mês para cumprir com esta meta durante a semana. No final de semana que eu fiz o curso, levei uma garrafinha de 500 ml e ia consumindo durante o evento. Consegui cumprir. Acho que preciso seguir essa linha. Tive alguns problemas com o carro atual, ar condicionado quebrado (nesse verão é complicado) e troca de bateria. Então, o projeto da troca está um pouco atrasado.

 

Está no radar:

  • Cursar o Positive Coaching
  • Voltar para a natação
  • Voltar a visitar a praia (que eu não vou desde que comecei o MBA)

Já anotei na agenda quando será a próxima turma do Positive Coaching e estou me programando (na agenda e financeiramente também) para fazer esta turma. A natação programei para depois do carnaval (não dizem que o ano começa depois do carnaval?  rs…). E assim que acabar a alta temporada, vou colocar meus pezinhos na areia. O mais perto que eu cheguei da praia desde então foi no calçadão de Copacabana, onde levei um capote de bicicleta. Mas esta é uma outra história….

 

Os demais estão na programação para o final do ano mesmo. Então deixarei para me preocupar a partir do segundo semestre. Afinal, tenho 12 metas, algumas mensais e algumas com data definida. E muito trabalho pela frente para conseguir cumprir com todas elas!