Profissão: babá de sobrinho

Hoje ele tem 7 anos…

Sobrinho (meloso): Tia, você trouxe um presente pra mim?
Eu: Presente?? Mas pra ganhar presente precisa ser um menino bonzinho… Você é bonzinho??
Sobrinho (sapeca): Sim!!!
Eu: Tem certeza?
Sobrinho (abre o sorriso e balança a cabeça afirmativamente): SIM!!!
Eu: Posso perguntar pra sua mãe?
Sobrinho balança a cabeça negativamente.

No mercado, sobrinho fala que quer um carrinho de brinquedo que estava vendendo lá. Perguntei por que ele queria, uma vez que ele tem uma caixa cheia de carrinhos de brinquedo. Ele me respondeu: “Porque eu preciso”. Não comprei o carrinho. E também nunca mais disse que comprei um sapato porque precisava, comprei porque eu queria e ponto.

Hora do jantar. Minha mãe tenta colocar um pouco de verdura no prato do sobrinho, e ele teima que não quer. Ela aceita. Passados 5 minutos, me sirvo da verdura e aproveito pra colocar um pouco no prato dele. Ele me olha com cara de indignação. Eu só respondo: “Precisa comer tudo o que está no prato”. Ele come a verdura sem reclamar.
No dia seguinte vou colocar verdura no prato do sobrinho. Ele tenta evitar colocando as mãos sobre o prato. Eu tento desviar das suas mãos e elas me acompanham. Olho pra cara dele e digo: “Não tenho o dia inteiro!!”. Ele tira as mãos, eu coloco a verdura no prato dele e ele come sem reclamar.

Chego no aeroporto e sobrinho vem me receber. Dentro do carro eu mostro um joguinho do celular (angry birds, alguém conhece?). Quando pego o celular de volta porque ele precisa tomar banho, descubro que ele passou por todos os joguinhos do celular. Quando ele sai do banho, descubro que ele sabe como jogar todos eles.

Eu (navegando na internet): Vai tomar banho.
Sobrinho: Estou assistindo o desenho. Posso ir quando acabar?
Eu: Tudo bem.
Sobrinho (2 minutos depois): Esse site que você está olhado tem os gol do São Paulo?
Eu: Você não está assistindo desenho. Vai tomar banho!!!
Ele vai, sem reclamar.

8 horas da madrugada. Sobrinho abre a porta do quarto onde estou dormindo. Faz um sapateado pra ver se eu acordo. Nem me mexo (de propósito). Ele sai e fecha a porta do quarto.

Eu (11 horas da noite): Tá na hora de você dormir.
Sobrinho: Mas eu não estou com sono.
Eu: Olha só seus bichinhos de pelúcia. Eles querem dormir.
Sobrinho faz cara de “sei sei…” e pega um dos bichinhos.
Eu pego o outro e bato no bichinho que está na mão dele.
E começa a guerra de travesseiros… oops, bichinhos de pelúcia.

Sobrinho de manhã: Quero um angry birds de pelúcia.
Sobrinho na hora do almoço: Quero um angry birds de pelúcia.
Sobrinho de tarde: Quero um angry birds de pelúcia.
Sobrinho de noite: Quero um angry birds de pelúcia.
Sobrinho na hora da janta: Quero um angry birds de pelúcia.
Sobrinho antes de dormir (e eu navegando na internet): Tia, compra um angry birds pra mim, vai.
Eu: Tá bom, vai.
E com a ajuda de um colega que tinha comprado e estava online, eu comprei o maldito no site do Angry Birds. O frete pra entregar no Brasil custou o dobro do valor da pelúcia…
Eu: Pronto, comprei. Mas não sei que dia que chega. Vem de outro país, bem longe.
4 meses depois sobrinho vem me visitar. Advinhem qual é a primeira coisa que ele tira da mala? (trouxe só pra me mostrar, rs)

No mercado com o sobrinho, vou até a sessão de louças. Mas antes digo pra ele: “Não saia do meu lado”. Foi o tempo de eu pegar duas travessas de marcas diferentes numa mesma prateleira. Sobrinho do lado de um vaso, em outra prateleira, me pergunta: “Por que é torto assim?”. Resposta: “TIRA JÁ ESSE DEDO DAÍ!!! FALEI PRA VOCÊ NÃO SAIR DO MEU LADO!!!”

Sobrinho em casa, quer brincar com meu violão velho.
Eu: Ainda não pode fazer barulho, só depois das 9h.
Às 9h em ponto, ele começa a brincar feliz e contente. E nem pergunta se pode.

Um dia fui no caminhar no Zerão, em Londrina, sem o sobrinho. Quando eu voltei, ele me perguntou onde eu tinha ido. Respondi e perguntei se ele conhecia, e a resposta foi afirmativa. Perguntei então se ele queria ir comigo no dia seguinte. Ele respondeu sim, todo alegre. Minha mãe olhou com cara de surpresa. E não é que no dia seguinte ele foi? E no outro dia também. E foi assim, até eu voltar pra São Paulo.

Na sala da minha casa tem um sofá-cama. Sobrinho teimou que queria dormir lá.
Sobrinho: Vou dormir aqui.
Eu: Dorme no quarto, a cama está encostada na parede. Aqui você vai cair da cama.
Sobrinho: Eu quero dormir aqui no sofá.
Eu: Você vai cair da cama.
Sobrinho: Não vou.
Eu: Se você cair da cama, vou tirar muito sarro.
Sobrinho: Não vou cair da cama.
No meio da madrugada, um estrondo vindo da sala. De manhã, durante o café da manhã…
Eu: Você caiu da cama. Eu ouvi o barulho.
Sobrinho (meio sem graça, balança a cabeça afirmativamente): Caí…
Eu: Se ferrou, caiu da cama, eu avisei… kkkkkk

Sabe aquelas bolinhas pra aliviar tendinite. Sobrinho usa pra jogar futebol no meio da minha sala…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s